Tarsila Para Crianças

Abre para o público no dia 26 de novembro, no Farol Santander (São Paulo) a exposição Tarsila Para Crianças. Com curadoria de Tarsila do Amaral (sobrinha neta da artista), Karina Israel e Patricia Engel Secco e produção da YDreams a exposição utiliza tecnologia sensorial e promete envolver as crianças nas obras da pintora mais famosa do Brasil.

tarsila do amaral
Tarsila do Amaral (sobrinha neta da artista)

São 7 estações temáticas com cenários imersivos e narrativas integradas para retratar o imaginário de seres, cores e formas da pintora moderista. Na exposição é possível interagir com as obras sob o ponto de vista infantil a partir de sentidos e sensações.

Abaixo estão as descrições de cada um dos cenários.

Logo na entrada, no 20º andar, começamos pela infância da Tarsila.

1.Vila dos Sentidos – A exposição começa com um cenário bucólico que remete à infância de Tarsila na fazenda São Bernardo, onde cresceu brincando com seus mais de 40 gatos e fazendo bonecos de mato. Uma mini vila caipira será formada por quatro casinhas tridimensionais, rodeadas por cestos de frutas, com inspiração no quadro A Feira. Cada casinha apresentará uma característica marcante relacionada à infância da pintora, como o quarto com sua caixinha de música e bonecas de mato, a sala de estar com piano, foto de família e seus gatos de estimação, seu perfume favorito (Moment Supreme do Jean Patou), o sabonete (Pinot), objetos daquele tempo, e a cozinha com as frutas. Algumas casas têm janelas que remetem a vista da fazenda pintadas por Tarsila.

2.Toca da Cuca – Inspirado no quadro A Cuca, o público encontrará um espaço com uma projeção com os bichos divertidos inspirados nos seres imaginários presentes na obra de Tarsila do Amaral, que passarão em uma espécie de tapete imersivo, projetado dentro da Toca da Cuca cenográfica, com acesso pelo túnel da lagarta.

3.Universo Tarsila – Tendo como referência a obra Cartão Postal, os visitantes poderão colorir diferentes elementos encontrados em sua obra e os animais imaginários que habitam o extraordinário e colorido universo de Tarsila, que ganham vida em uma parede interativa instalada no andar.

4.Floresta Negra – Com uma cenografia e ambientação sonora do que seria a floresta onírica do quadro Floresta, o público poderá se aconchegar no ninho de almofadas que simulam os famosos ovos rosa arroxeados de sua pintura. No mesmo local, baseado na obra Urutu, será possível encontrar um ovo onde os visitantes despertam a curiosidade, observando através de buraquinhos as possíveis criaturas que habitam dentro do ovo. A floresta ainda esconde um guardião, o touro preto (O Touro), que protege com seu mugido quem pensar em fazer mal à natureza. Os visitantes poderão tirar fotos no instapoint do touro. Uma reprodução tátil do quadro Floresta foi criada especialmente para que deficientes visuais conheçam a obra de Tarsila do Amaral.

A exposição continua no 19º andar do Farol, com mais 3 estações: (5) Jardim Afetivo, (6) As Cores de Tarsila, (7) Papo com Abaporu.

5.Jardim Afetivo – Os visitantes serão convidados a embarcar em uma viagem sensorial, com animações e sons, como por exemplo, os ruídos da estação de ferro, da caixinha de música, o coaxar do sapo, os grilos, que remetem diretamente a 4 quadros de Tarsila:

Quadro 1 – O Sapo – Um sapo sorridente e juvenil, tenta decidir entre a luz do Sol, ao fundo, e o frescor da terra úmida e da sombra, à sua frente. Acima, uma floresta de cactos compartilha involuntariamente da indecisão do pequeno anfíbio.

Quadro 2 – Estação de Ferro (E.F.C.B) – Em uma paisagem repleta de símbolos e sinais ferroviários, o morro com casas humildes e coloridas se mistura aos trilhos e vagões de uma das principais ferrovias do Brasil, a Estação de Ferro Central do Brasil, que no início do século XX interligava a então capital do Brasil, Rio de Janeiro, a São Paulo e Belo Horizonte, importantes capitais estaduais.

Quadro 3 – A Boneca – Em seu vestido rodado cor-de-rosa, a boneca parece descansar enquanto se prepara para mais uma dança no universo colorido de Tarsila, onde os tons de azul puríssimo convivem sem se encontrar, o branco traça caminhos, provendo apoio, emoldurando janelas possíveis e fazendo sonhar, sem deixar de conceder espaço para o verde cantante e outros tons de rosa, em um cenário de pura magia.

Quadro 4 – Paisagem com Touro I – Entre casarios de um Brasil rural que Tarsila conhecia tão bem, posto que passou sua infância em fazendas no interior do estado de São Paulo, um touro branco nos observa altivamente, como que se apresentando como o guardião do terreiro e da fazenda.

6. As Cores de Tarsila – Neste ambiente estarão expostos reproduções de diversos quadros impressos e as principais cores da paleta de Tarsila (Cores Caipiras: azul puríssimo, rosa violáceo, amarelo vivo e verde cantante) para a pintura brasileira e internacional. Ao centro, duas redes coloridas penduradas do teto até quase o chão, representando pinceis. Os visitantes serão convidados a se posicionar nas redes-pinceis, e percebem que no chão há uma projeção que repercute o movimento de cada pincel e vai misturando as cores e dando origem a uma infinidade de pinturas digitais aleatórias.

O público poderá responder a um quiz para adivinhar qual quadro está com a paleta de cores da artista.

7.Papo com o Abaporu – Com cactos cenográficos e flores holográficas, o espaço abrigará instalações inspiradas em três obras importantes, AbaporuSol Poente e A Lua.

Sol Poente – Com cenografia inspirada na obra, o espaço servirá de cenário para fotos, com um fundo cenográfico projetado com os círculos cor laranja concêntricos em movimento e pufes espalhados a frente que representam os animais da obra de Tarsila.

A Lua – Um balanço remetendo ao famoso quadro que acabou de ser adquirido pelo Moma. Um observador solitário aprecia a Lua formosa, pintada com a cor do Sol, que ilumina campos, colinas e um riacho em curva tão fechada e circular, que se opõe à própria Lua, sem saber se está minguando ou crescendo.

Papo com Abaporu – em frente a uma reprodução do quadro Abaporu, que se transformou na mais importante obra de arte do país, símbolo do modernismo brasileiro e do movimento antropofágico, haverá dois totens touchscreen com perguntas que serão respondidas pelo enigmático personagem de cabeça minúscula e um pé enorme, via inteligência artificial através dos serviços do Watson, da IBM, matando a curiosidade e o interesse de todos os presentes sobre antropofagia e seu contexto. Acessibilidade, outro tema de suma importância, terá uma reprodução tátil do quadro Abaporu, criado especialmente para que deficientes visuais conheçam a obra de Tarsila do Amaral.

A mostra é apresentada pelo Ministério da Cidadania, com patrocínio da Getnet.

Quando: 26/11/2019 a 02/02/2020
Onde: Rua João Brícola, 24 – Centro (estação São Bento – linha 1, azul do metrô)
Site Farol Santander: farolsantander.com.br
Funcionamento: terça a domingo
Horários: 09h às 20h (terça a domingo)
Ingressos: R$ 25,00 (visitação completa ao Farol Santander)
site e bilheteria física no local
Capacidade por andar: 60 pessoas
Brigada de incêndio e Seguranças: Efetivo total de 60 pessoas
Banheiros: 2 por andar – 1 masculino e 1 feminino (4º andar, 8º andar, 21º andar, 22º andar, 23º andar, 24º andar e no 26º andar)
Acessibilidade: Banheiros e elevadores adaptados, rampas de acesso
Saídas de emergência

1 comentário Adicione o seu

  1. Marcos Brando disse:

    Maravilho. Estarei visitando também. Valeu pelas dicas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.