A cinematográfica Catarata dos Couros – Chapada dos Veadeiros

Continuando a maratona dos pontos turísticos da Chapada dos Veadeiros, hoje vamos falar da imponente Catarata dos Couros, um destino que não pode ficar de fora de seu roteiro de jeito maneira!

A Catarata dos Couros é um complexo formado por várias cachoeiras maravilhosas, sendo as principais: Cachoeira da Muralha, Almécegas 1000, Parafuso, Bujão e Cânion dos Couros. Há quedas que chegam a 100m de altura.

A presença do guia é quase que indispensável. Há quem arrisque ir sem, porém a estrada de carro é muito mal sinalizada e as trilhas são de um nível elevado (há também quem diga que o nível é moderado, mas não é qualquer pessoa que consegue fazê-la de boa não!) e o percurso acaba sendo grande e demorado por conta da grandeza do local e pelas paradas que são inevitáveis, seja para admirar a natureza, seja para descansar e tomar um fôlego.
Além disso, nosso guia, que contratamos diretamente no CAT (Centro de Atendimento ao Turista) de Alto Paraíso nos levou a um mirante super escondido e de onde tivemos uma visão privilegiada: de um lado a grandiosa Cachoeira da Muralha e de outro um impressionante Cânion, onde fizemos fotos espetaculares, tipo as de Capitólio (quem já foi, vai entender!).

Para garantir o passeio e não correr o risco de não formarmos um grupo para dividir a despesa do guia com a gente, fomos ao CAT na noite anterior ao passeio e lá já conversamos com o guia sobre nosso interesse e pegamos o seu contato.

Às 8h da manhã já estavam todos em frente ao CAT e então saímos, cada grupo em seu carro e o guia conosco. Éramos 8 ao todo e pagamos R$30 por pessoa (o guia faturou!). Geralmente eles cobram R$200. Pelo menos a entrada é gratuita, o que é raro encontrar em Veadeiros.

Contato do guia: Alexandre – mais conhecido como Alê ou Chorão. Gente muito boa e super paciente.
Celular: (61)999127619

Para chegar até a Catarata, faz-se um percurso de carro (pode ser carro normal) de 16k de estrada asfaltada e mais 35km de estrada de terra, o que dá em média 1h30 e depois todo o percurso é na pernada mesmo.

Foram mais ou menos 5km e meio de caminhada (por conta de termos ido ao mirante, fizemos uma volta maior!) e muitas subidas e descidas íngremes. Mas era cada recompensa… vale… vale super a pena!! Boa parte da caminhada se dá à margem do Rio dos Couros.

Eu e meu marido ficamos muito impressionados com a magnitude do local, com a sua imponência. Não adianta que a lente do celular não consegue captar toda essa imensidão. Andamos para trás, põe na horizontal, tenta na vertical… mexe daqui e dali e é impossível dar conta de tudo numa foto só, o local nos engole!

Couros é com certeza um lugar mágico, em que sentimos literalmente toda a FORÇA da natureza, seja no forte barulho que as quedas fazem, naquela névoa que a água cria e nos deixa inteiramente molhados se chegarmos mais pertinho ou no tamanho de sua queda, que faz com que nos sintamos miúdos, um quase nada e ao mesmo tempo privilegiadamente grandes por fazer parte, nem que por um instante, daquele cenário tão divino.

Mas cuidado, se você for em época de chuvas (outubro a abril), o volume de água aumenta muito, o que faz o cenário ganhar mais grandiosidade e beleza, mas, por outro lado, as trombas d’águas são muito frequentes. Nós mesmos tivemos que sair correndo de uma das quedas e vimos como de repente a água aumenta e fica puxando muito mais.

E isso nos faz considerar que várias vantagens de se contratar um guia. Uma foi o fato de podermos ir a todas as cachoeiras que as condições do tempo nos permitiram ir e também por termos conseguido pegar os lugares bem vazios, já que ele nos levou pelo sentido contrário que todos fazem normalmente. Outra é que ele nos passava todas as informações do que era ou não seguro de se fazer. Essa foto aí de baixo eu só tive coragem de fazer devido ele ter descido comigo.

Em relação ao banho nas cachoeiras, no nosso caso, só conseguimos parar para mergulhar na última cachoeira (que estava lotada, pois é por onde geralmente as pessoas chegam!), porque nas demais paradas, só foi possível contemplar mesmo. Mas em época de seca (abril/maio a setembro), é possível aproveitar mais o local para banho. A Amanda aqui do blog foi nessa época e aproveitou bem.

No quesito beleza, a Catarata dos Couros entra na briga com a Santa Bárbara para muitos. Não sabemos explicar como é que tem gente que consegue ir a Veadeiros e não conhecê-la. Só pode ser por falta de informação… só pode! Mas você que nos acompanha, não vai cometer esse crime, né? Nós nos surpreendemos demais e só fez valer ainda mais a viagem! O sorriso no rosto foi grande quando nos deparamos com cada pedacinho que conhecemos ali.

DICA BOA: Assim como na Santa Bárbara, é possível marcarmos o almoço e foi a melhor coisa que fizemos porque saímos da trilha mortos de fome e até chegar ao centro novamente ficaria bem tarde para aguentar ficar sem comer. Pagamos também R$30 por pessoa para comermos à vontade daquela comidinha super caseira cheia de temperos!

Ela merece toda a atenção mesmo. Reserve um dia inteiro para ela!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.