TDIY: Como escolher o destino da sua próxima viagem

Existem várias formas de escolher o melhor destino para viajar. Vou listar algumas para inspirar você – e até te tirar da zona de conforto – nessa escolha.

Minhas pesquisas de destinos. Alguns ainda nem conheci, mas parece que já estive por lá.

 

  • PELA AFINIDADE: você pode escolher um destino por afinidade. Algum lugar que você sempre vai ou sempre sonhou conhecer. Se você prefere mar ou montanha, se prefere camping ou hotel.
  • PELO DESAFIO: alguns destinos têm o poder incrível de colocar os visitantes em contato com sentimentos bem profundos. Aqui quero fazer um parênteses. Não significa que um amigo não gostar de um lugar vá fazer você não gostar. Pessoas são totalmente diferentes e suas motivações também. Vá em busca do que o seu interior está chamando naquela viagem se você busca algum desafio em particular.
  • PELO CONTATO CULTURAL: escolher lugares inóspitos vão te trazer o sentimento de estar de fato vivendo aquela cultura sem interferência da vida urbana. Passei bastante por isso na Bolívia e no Peru, por exemplo. Vários lugares são tão diferentes que a sua visão de mundo começa a mudar a partir dali.
  • PELO PREÇO: geralmente destinos na América do Sul (pra quem mora no Brasil) tendem a ser mais baratos. Às vezes mais baratos do que destinos no Nordeste do Brasil, por exemplo. Se você tem um orçamento definido, é bom começar pela verba na escolha do seu roteiro.
  • PELO TEMPO DISPONÍVEL: é super importante ver se o tempo que você tem disponível compensa o seu deslocamento até o destino que você está querendo visita. Ex: dificilmente vai compensar ir pra Ásia (exceto em caso de viagem a trabalho) se você tiver apenas 10 dias. Você acaba perdendo 2 na ida, 2 na volta e sofrendo muito com o jetlag. A experiência que seria incrível passa a ser um sufoco (caro).

Mas tudo bem. Passamos dessa etapa e escolhemos o destino. E agora? Como prosseguir? Eu vou contar como eu faço. Cada um tem o seu método e eu sou bastante offline ainda nesse início de planejamento.

Vale também escrever o que era importante na página pra não perder MESMO.

Eu vou até uma livraria, escolho um guia (na maioria das vezes prefiro os da Folha de S. Paulo ou da Lonely Planet) e começo a folhear. Abro o mapa, vejo as cidades por onde vou passar a partir do aeroporto por onde pretendo pousar (eu já contei nesse post como você faz pra garantir o melhor preço no voo usando o Google Flights).

E é fácil explicar porque não uso sites nesse início da busca. Acho os textos extensos demais e ficar no computador / celular acaba me tirando o foco. Demoro muito mais pra finalizar tarefas simples. Nos guias os textos são bem mais objetivos e, se você escolher bem, a maioria ainda vem com fotos coloridas.

A partir daí eu coloco post-its em todas as atrações que fazem sentido pra mim e começo a montar meu roteiro. Mas isso é assunto pro meu próximo post, que já está pronto e você pode conferir clicando aqui.

 

2 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.